Edição de julho, agosto, setembro 2017.

MASSACRE SE REPETE

Os Lanceiros Negros da Revolução Farroupilha foram assassinados no dia 14 de novembro de 1844 e os de agora foram bombardeados no dia 14 de junho de 2017. Mas a violência que sofreram não é coincidência. Nos dois casos, ela foi ordenada por quem manda e quem tem dinheiro. A história se repete e a justiça continua cega.

  • Paulo em São Paulo – p.2
    O Boca de Rua foi um dos convidados do 2º Encontro Nacional dos Jornais e Revistas de Rua de Comunicação, promovido pela Rede Rua, no Sindicato dos Bancários de São Paulo.
  • Morrer de frio não é piada, Sr. prefeito – p.3
    Uma pessoa morreu congelada em Porto Alegre, debaixo do Viaduto da Borges em julho passado. No mesmo dia (16 de julho), o prefeito da cidade colocou uma gozação no seu facebook.
  • Audiência Pública mexe com “peixes grandes” – p.4-5
    A Audiência Pública “O extermínio, as agressões e a falta de políticas públicas para o povo da rua” aconteceu em 24 de maio e reuniu cerca de 200 moradores de rua no Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa.
  • O gravatinha sem gravata – p.6
    Tem um pássaro chamado Fênix que, quando é abatido, se incendeia e renasce nas cinzas. O José Nedir Malta Ramires (que na foto aparece ao lado da Rita, já falecida), era um pouco assim.
  • BOQUINHA: Ao alcance da mão – p.7-9
    O que é público e o que é privado? Parece uma pergunta fácil. Será?
    Vamos ver. O público é de muita gente. São as praças, a Redenção, o Parcão, o Marinha, o Mercado Público, o posto de Saúde, algumas escolas e universidades. E a rua, claro. Privado é uma coisa ou um lugar que tu compra ou aluga. Até aí tudo bem, mas depois complica. O Boquinha fez uma pesquisa de campo pela cidade de Porto Alegre, visitou diversos locais como e fez um roteiro do públicoprivado. Nós também fi zemos vários desenhos livres (abstratos) inspirados no que vimos. Nossa arte é pública está ao alcance da mão de quem quiser curtir.
  • SONHO BOMBARDEADO (a desocupação dos Lanceiros Negros) – p.10-15
    A ocupação Lanceiros Negros ficava na esquina das ruas General Câmara com a Andrade Neves, bem no centro de Porto Alegre. De 14 novembro de 2015 (dia em que os Lanceiros Negros foram assassinados, na Guerra dos Farrapos, em 1844) até 14 de junho de 2017, um grupo de 70 famílias morou ali. Foram 20 meses ou 577 dias.
  • Vida difícil no Centro Vida, braços abertos da Mirabal – p.13
  • Grafite na EPA – p.16
    A Escola Porto Alegre (EPA) valoriza todos os tipos de arte.
    Cerâmica e papel reciclado, por exemplo, já fazem parte da rotina. E o grafite também.